CAMINHOS ORIGINAIS DE CULTURA

Entre os anos de 1978 e 1981, o historiador e estudioso mineiro Affonso Ávila comandou uma expedição de especialistas seguindo os passos do famoso naturalista francês Auguste de Saint- Hilaire em sua passagem pela região mineradora de diamantes há exatos 200 anos. O resultado desse trabalho de alto rigor técnico chamou-se “Monumentos Históricos e Artísticos – Circuito do Diamante” e foi publicado na Revista Barroco nº 16 da Coleção Mineiriana da Fundação João Pinheiro (FJP). Originalmente, esse circuito tem como área de abrangência 22 municípios agrupados em torno das cidades pólo Conceição do Mato Dentro, Serro, Diamantina/Minas Novas.

Independente da formação do Circuito Turístico dos Diamantes, conforme a regionalização do Governo do Estado, e que não inclui Conceição do Mato Dentro e vários outros municípios da pesquisa publicada pela FJP, a Casa Sol Invictus está resgatando o projeto pioneiro e original de Affonso Ávila, tomando como área de abrangência todas as localidades, com seus monumentos, mas também, dessa vez, dando enfoque ao patrimônio imaterial cultural da região diamantina.

São objetivos do projeto:

  • Publicar três guias (Serro, Conceição do Mato Dentro e Diamantina/Minas Novas), em versões impressa e digital, baseados na atualização da pesquisa de campo de Affonso Ávila, com destaque para os monumentos históricos, arquitetônicos e artísticos, e para as manifestações do patrimônio imaterial, como celebrações, festas, modos de fazer, gastronomia etc. A linha editorial dos guias terá como referência a série Eyewitness Travel (no Brasil, Guia Visual), criada pela editora britânica DK-Dorling Kindersley, priorizando imagens, ilustrações, mapas e plantas em perspectiva. As versões impressas serão distribuídas em bancas de revista das principais capitais brasileiras e maiores cidades mineiras.
  • Realizar trabalho sociocultural visando a implementação de arranjos socioprodutivos de base comunitária, que incluem atividades de transporte, agenciamento, hospedagem, alimentação, recepção, eventos e muitas outras atividades complementares em que as comunidades sejam as protagonistas. Para tal, faz-se necessário um trabalho de mobilização, sensibilização e organização comunitária para identificação e resgate das identidades locais, tradições e formas de expressão. Ao final, coletivamente, serão construídos produtos turísticos, como roteiros e atrações geridas pela própria comunidade.
  • Desenvolver o aplicativo turístico Circuito Cultural do Diamante e outras estratégias de marketing digital para facilitar ao turista a elaboração de roteiros, contratação de serviços, orientação territorial georreferenciada, informações sobre atrativos e compartilhamento de experiências – texto, audio e fotos – entre os visitantes do circuito.

A curto prazo o projeto visa chamar a atenção para a riqueza cultural da região, inclusive entre a própria população, incentivando a valorização e a formatação de produtos culturais que sejam aletrnativa de desenvolvimento socioeconômico para as comunidades locais. A médio prazo o projeto quer atrair o turista interessado em imersão na cultura colonial da região, uma das mais conservadas do país e do mundo, inclusive com conjuntos urbanos tombados como patrimônio da  humanidade pela UNESCO.

Circuito Cultural do Diamante © Todos os direitos reservados.