FESTA DO ROSÁRIO: FIEL TRADIÇÃO SERRANA

Postado por Circuito Cultural em 4 de julho de 2017

Procissão pelas ruas do Serro

O Brasil inteiro de sente representado na Festa de Nossa Senhora do Rosário, a mais importante entre as muitas realizadas no Serro. Durante a semana de manifestações intensas de fé religiosa e de tradição folclórica estão sempre presentes dançando e cantando os grupos de caboclos, que representam os indígenas; os catopés, simbolizando a raça negra; e os marujos, tomando o lugar dos homens brancos que chegaram da Europa principalmente Portugal. E a força  maior capaz de reunir harmonicamente as três etnias geradoras do povo brasileiro não podia ser outra senão a Virgem Maria adorada e venerada desde 1728 pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário da Freguesia da Conceição da Vila do Príncipe do Serro Frio.

É impressionante como toda a cidade se envolve na festa. Durante os dias mais importantes da celebração, como na grande procissão ocorrida no domingo em que a andor da santa e o reinado percorrem vários quilômetros pelas ruas da cidade. Vê-se em tudo os sinais da fé. Fiéis andando descalços pelas ruas calçadas de pedras irregulares carregando crianças de colo; idosos e doentes num verdadeiro esforço penitencial para seguir a Virgem do Rosário. No percurso em várias residências, moradores montam altares na frente da casa com imagens da santa, crianças vestidas de anjo, bandeirolas e até mesmo trilha sonora gravada ou ao vivo. Na maioria das vezes o andor é recebido nessas casas com brados de louvor, genuflexões, orações, lágrimas e fogos de artifício. Aliás os fogos de artifício acompanham toda a festa.

Chegada da Santa na Capela do Rosário.

Não há dúvida de que essa é uma das festas mais importantes do catolicismo brasileiro, guardando ainda o fervor e a originalidade das grandes celebrações religiosas realizadas no período colonial brasileiro pelas irmandades leigas e ordens terceiras. Um exemplo de tradição religiosa digna de ser vista pelo menos uma vez por todos, cristãos ou não cristãos. É uma experiência catártica que deixa marcas na alma.

Altar em frente a uma casa com santa e “anjinho”.

POSTAGENS RELACIONADAS

Circuito Cultural do Diamante © Todos os direitos reservados.