RIQUEZA CULTURAL SE MANTÉM NO INTERIOR

Postado por Circuito Cultural em 11 de setembro de 2017

Capela de Nossa Senhora das Dores no alto da Serra da Caroula.

Os principais distritos do Serro são bastante visitados, especialmente por pessoas que buscam experiências ecológicas, místicas e religiosas. Um dos casos que melhor expressam a força da devoção popular na região vem da Vila Deputado Augusto Clementino, antigo Mato Grosso, durante o Jubileu de Nossa Senhora das Dores realizado anualmente no mês de julho. Esse evento sacro, que dura uma semana, com celebrações, retiros espirituais, confissões, eventos culturais e penitenciais, acontece na capela dedicada à santa, localizada no alto da Serra da Caroula, a vários quilômetros do núcleo urbano. No entorno da capela há dezenas de casas que recebem os moradores da vila durante o período das celebrações do jubileu, ficando fechadas o resto do ano. Por isso, o local costuma ser chamado de Vila Fantasma, embora os moradores não gostem dessa denominação.

Mas não é o único caso. Longe disso. Segundo o responsável pela Paróquia Nossa Senhora da Conceição do Serro, Padre Maurílio Vaz da Silva, durante todo ano e, praticamente, em todos os meses, há sempre festas de padroeiros das muitas comunidades existentes. Muitas dessas celebrações são mantidas há centenas de anos e preservam importantes tradições do patrimônio imaterial da cultura mineira, como a Festa de Nossa Senhora do Rosário realizada anualmente em outubro no distrito de Milho Verde.

Capela de Nossa Senhora do Rosário de Milho Verde: primor de delicadeza arquitetônica.

Milho Verde é também conhecido como o paraíso dos ecologistas e místicos. Isso se deve especialmente à sua singular posição no alto de um platô e rodeado de enormes formações de rochas quartzíticas no meio de uma vegetação de cerrado em plena crista da Serra do Espinhaço. Para complementar o cenário, há muitas pinturas rupestres espalhadas nas grotas, grutas e cachoeiras. O conjunto de abrigos do Lajeado é um importante sítio arqueológico cadastrado pelo IPHAN. As quedas d’água são particularmente atraentes nesse aprazível local, entre elas algumas já famosas como as cachoeiras do Moinho e do Lajeado. Tudo isso alimenta discursos místicos baseados nas peculiaridades geológicas da região capazes de atrair certas energias cósmicas. Na vila destacam-se a Matriz de Nossa Senhora dos Prazeres, onde, afirmam, foi batizada Chica da Silva, a escrava que virou senhora de escravos, e a Capelinha de Nossa Senhora do Rosário, com sua única torre central e cores marcantes.

Lindas peças artesanais são feitas utilizando o caule das sempre-vivas.

São Gonçalo do Rio das Pedras é o típico local de descanso, longe do stress contemporâneo das grandes cidades. O conjunto arquitetônico é característico de uma vila colonial perdida nos séculos passados tendo como destaque a Igreja Matriz de São Gonçalo, com uma bela pintura no forro, e a Capela de Nossa Senhora do Rosário. Antigo posto de tropeiros, a excelente conservação do casario faz do local um cenário impressionante. Na década de 60, foi palco para as gravações do filme O Padre e a Moça, do diretor Joaquim Pedro de Almeida.

Também especial pela sua simplicidade e ambientação bucólica é a Vila de Três Barras, dominada pela imponência colonial da Capela de São Geraldo em meio ao verde das paisagens circundantes. Os distritos do Serro podem proporcionar experiências significativas de paz e acolhimento em meio a uma natureza surpreendente em cada paisagem.

POSTAGENS RELACIONADAS

Circuito Cultural do Diamante © Todos os direitos reservados.