UMA VIAGEM NO TEMPO PELAS LADEIRAS DO SERRO

Postado por Circuito Cultural em 20 de agosto de 2018

Vista geral do Serro, a partir da escadaria que dá acesso à Igreja de Santa Rita: exuberância histórica

Ir ao Serro, caminhar pelas suas ruas do seu centro histórico, bem cuidado e florido, conhecer as igrejas e o casario colonial, experimentar a culinária local e conversar com os moradores é como fazer uma viagem no tempo. Centenas de casarões compõem o homogêneo acervo urbano-paisagístico da cidade, que remonta aos tempos da Vila do Príncipe, no início do século XVIII, e é considerado patrimônio histórico e artístico do Brasil desde 1938.

Visitar a cidade é uma viagem e tanto! Além das diversas igrejas, de estilos barroco e rococó, o Serro conserva um traçado único, com seus aglomerados de casas ocupando um espaço acidentado entre as margens dos ribeirões auríferos e as encostas de pequenos morros. A arte e a arquitetura do período colonial, suas igrejas e seus imponentes sobrados conservados após mais de três séculos, remetem a uma época de pujança econômica e social. E formam um estilo único no Brasil, com utilização de matéria prima predominantemente local e adaptação de técnicas para o terreno e condições existentes. Quem preferir, pode esticar o passeio até os arredores da cidade e conhecer suas fazendas coloniais e cachoeiras.

A arquitetura antiga do Serro foi desenvolvida com madeira e barro, sistema conhecido por pau-a-pique, ou tijolos de barro. Os casarões mais imponentes, entre os quais onde funcionaram a Casa de Câmara e a cadeia, foram feitos de pedra. Outras construções, inicialmente residenciais, que datam do século XIX e que correspondiam, na época, ao que se conhece hoje como arranha-céus, acabaram adaptadas, e hoje funcionam como prédios públicos. Nesses locais, turistas têm a oportunidade de conhecer o seu interior e imaginar os séculos de História que, literalmente, enterram em sua arquitetura.

Ruas estreitas e íngremes, cujos calçamentos têm muita história pra contar, dão um charme especial ao Serro, com seus casarões, largos e praças que são um convite para uma caminhada e um dedo de prosa. É também a cidade das ladeiras, que, invariavelmente, levam a alguma histórica igreja do século XVIII. A mais famosa dessas ladeiras, na verdade uma escadaria de tirar o fôlego, é a que liga o Centro Histórico ao seu ponto mais alto, onde se localiza a Igreja de Santa Rita. É de tirar o fôlego, tanto pela beleza como pela subida!

 

As igrejas do Serro formam um dos mais antigos e conservados conjuntos arquitetônicos do Brasil

ARQUITETURA RELIGIOSA

As igrejas, mais até do que o casario, demarcam e configuram a paisagem do Serro. No início eram capelas simples, depois substituídas, ampliadas ou modificadas à medida que o antigo arraial se tornou vila, distrito e cidade. São preciosidades do período colonial e exemplos de como a religiosidade teve importante papel na formação urbana, social e religiosa do Serro.

Nas igrejas do Serro, exteriormente pobres, mas encantadoras com os frisos carmim sobre a taipa caiada, várias tendências se integram, de forma harmônica, na arquitetura de barro e madeira, na pintura de perspectivas e desenhos construtivos, nos medalhões de colorido vibrante, na douração dos altares, arcos-cruzeiros, retábulos e adornos de janelas.

Não existe um padrão exclusivo nas igrejas do Serro. São capelas grandes, como a do Carmo e de Matozinhos, e outras pequenas, de uma só torre, casos das de Santa Rita e do Rosário, que hoje nem torre possui mais. Os óculos ou medalhões (como no caso da Igreja do Carmo) são o que mais as distinguem, bem como as torres de sinos, influência de uma época em as badaladas ajudavam a reger a vida e o tempo dos moradores.

Apesar da arquitetura singela, de reduzidas proporções externas, as igrejas do Serro guardam em seus interiores um acervo de grande valor artístico e pictórico. Além de talhas de grande apuro técnico, as pinturas existentes nos forros são o que mais chamam atenção. Mas, para o turista comum, que não se apega a tantos detalhes, o que conta é poder observar a beleza desse cenário como um todo, as igrejas destacadas em meio à topografia e ao casario colonial, o que oferece um diferencial em relação a outras cidades históricas de Minas.

POSTAGENS RELACIONADAS

Circuito Cultural do Diamante © Todos os direitos reservados.